Mensagem

Mensagem

domingo, 7 de dezembro de 2014


PASSOS COELHO SOFRE DE GONGORISMO

Passos Coelho disse na passada sexta-feira, em Santarém, que que "os donos do país estão a desaparecer".
É bem verdade! O que admira é ser o próprio algoz a ter o descaramento de dizê-lo. 
É caso para lembrar o velho ditado “Com a verdade me enganas”, ou na versão neo-liberal, "com a verdade me pretendes enganar"
Bastaria ver a quantidade de gente que se vê obrigada a ir procurar fora daqui, o direito a uma sobrevivência digna, para perceber que o povo português, que são na realidade os donos de Portugal, por causa da canalha que nos governa, se vêm obrigados a abandonar o território que é seu.
Mais adiante afirmou Passos Coelho: 
“É bem visível que a economia "estava aprisionada por grupos económicos que eram incentivados pelo Estado a aplicar os seus recursos em obras públicas que não eram sustentáveis", lamentando que muitos recursos, nacionais e europeus, tenham sido colocados ao serviço "dessa economia protegida" e não das pequenas empresas que tinham emprego e riqueza para criar.”
Aqui mais uma vez a tarimba popular, com a sua velha e tradicional sabedoria denuncia este tipo de demagogos quando diz: “ Bem prega o Frei Tomaz, faz o que ele diz e não o que ele faz“, ou mais concretamente neste caso “com papas e bolos se enganam os tolos”, porque é isso o que na realidade está a fazer.
É inacreditável o descaramento, sabendo o ataque devastador que estão a fazer às micro,pequenas e médias empresas que constituem 99,9 % do tecido empresarial e os benefícios com que premeiam as grandes empresas, que não passam de 0,1 % do conjunto. 
Se às primeiras correspondem 60,9 % do volume de negócios, as grandes empresas abocanham 39,4 %.
Aproveito para contar um caso pessoal, absolutamente significativo do que acabamos de afirmar.
Moramos longe de Lisboa, e raramente aí nos deslocamos.
Há tempos, pouco depois de chegar à Baixa, ao passar na rua dos Fanqueiros, demos por nós a interrogarmo-nos se era feriado, pois o enorme número de casas comerciais fechadas era de tal dimensão, que este raciocínio se assim não fosse, significaria grave perturbação da sanidade mental, num velho como eu.
Afinal não era realmente feriado! Aquelas lojas estavam fechadas porque os naturais "donos de Portugal" tinham "pura e simplesmente" falido !!!
Aquele doloroso espetáculo reflectia em toda a sua dimensão, as consequências do que o nosso manipulador 1º ministro anda a fazer e lhe permite gaba-se "que é um êxito a política que está a levar a cabo para acabar com os donos do país."
PELA PRIMEIRA VEZ CONCORDAMOS  PLENAMENTE COM PASSOS COELHO, DE FACTO..."OS DONOS DE PORTUGAL ESTÃO A DESAPARECER"...MAS PELAS PIORES RAZÕES!!!
O filme que se segue mostra muito dos “paísicidas” no tempo, onde ainda não se tinha “descoberto a careca” aos Espíritos Santos e os Mello, Champalimauds, Amorins, Belmiros, Jerónimo Martins etc.,etc., estavam nas suas 7 quintas.
Aqui mais uma vez é bom lembrar a voz do povo: 
“Por morrer uma andorinha, não se acaba a Primavera”.

1 comentário:

Rogerio G. V. Pereira disse...

É bem verdadeira e correcta a análise. Contudo, as privatizações dos sectores estratégicos vieram a alterar profundamente os detentores da posse das grandes empresas. Os grandes accionistas e a gestão passaram (e continuam a passar)para as mãos do capital estrangeiro. Desde a venda da Cimpor que não tem parado... na verdade, hoje, praticamente não somos donos de nada