Mensagem

Mensagem

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

PALÁCIO NACIONAL DE MAFRA
A cerca de 25 quilómetros de Lisboa, constitui-se em um palácio e mosteiro monumental em estilo barroco. Foi iniciado em 1717 por iniciativa de D.JoãoV de Portugal, em virtude de uma promessa que o jovem rei fizera se a rainha D. Maria Ana de Áustria lhe desse descendência. Classificado como Monumento Nacional em 1910, foi um dos finalistas para uma das Sete Maravilhas de Portugal a 7 de Julho de 2007
Origem: Wikipédia

CAVACO – LEADER DA OPOSIÇÃO

Ao ouvir Aníbal Cavaco Silva, Presidente da Republica de alguns portugueses, fiquei a saber qual era afinal, o clube que ele patrocinava.
Eu já “desconfiava”!!!
Os Gatos Fedorentos, acusavam Teixeira dos Santos, de apesar da crise de emprego que vai por cá, estavar a ocupar dois postos de trabalho: o de ministro das finanças e o da economia.
De certeza que se Cavaco Silva fosse a esse programa (é o vais!!!) interrogam-no sobre o facto de ele também ter dois empregos: a presidência da Republica e a liderança do PSD.
A diferença não é muito notória, devido a Teixeira dos Santos, dizer que no segundo emprego não ganha nada e ser evidente que Cavaco no segundo emprego, não o exerce a tempo inteiro.
De qualquer modo, fiquei descansado, porque com as explicações do Presidente da Republica deu na trapalhada das escutas, percebi que estamos bem entregues, no próximo futuro.
Isto é tudo malta fixe, Soares é fixe, Sócrates é fixe, Cavaco é fixe!!!
A minha única dúvida é se o Presidente da Republica, com a quantidade de conselheiros, assessores, secretários, casa civil, casa militar, motoristas, cozinheiros, jardineiros, GNR’s, que tem, sai uma intervenção daquelas, mais valia contratar os Gatos Fedorentos, que são mais engraçados.
Estava á espera de ver montanha parir um rato, como é costume, mas afinal foi um rato que pariu uma montanha conflitos.
Vai ser lindo o desenvolvimento que isto tudo vai ter!!!.
Desconfio que a questão dos submarinos, que está a voltar á superfície, depois de uma longa travessia, nas profundezas do mar da corrupção, vai servir para distrair a malta e colocá-la a olhar para outro lado.
Tenho a certeza que o CDS se podem afundar com o Portas, mas o Cavaco vai ficar a flutuar porque como cavaco que é, tal como o “cortiça” (lembram-se do Costa Gomes?) tem o capital a dar uma mãozinha, se for preciso.
E o Zé como de costume…….protesta não indo votar, distrai-se com as telenovelas, paga as contas e não bufa, canta o fado, discute futebol, ganha os favores do céu de joelhos em Fátima e emigra quando pode.
Isto até um dia, porque cada dia é uma lição e o curso é longo e complicado!!!

ALCOOL EM GEL








.

.
.

.
.
.
.
COMO FAZER UM DESINFECTANTE ECONÓMICO, PARA COMBATER O
VIRUS DA GRIPE A

Todos nós já sabemos que uma das medidas mais eficazes para nos proteger do vírus da gripe A, se prende com a lavagem e desinfecção das mãos.
O álcool em gel, é um dos produtos, cujo efeito é comprovadamente muito eficaz.
Daí o oportunismo deste tipo de produto, ter rapidamente triplicado preço normal, no mercado.
Nessa medida, parece-nos muito útil e oportuno, dar a conhecer uma fórmula simples de obter este produto, de uma forma extremamente económica.
1º - Comprar 2 folhas de gelatina incolor e sem sabor, num supermercado.
2º - Deitar um copo de água quente numa taça, para dissolver as 2 folhas de gelatina.
3º - Depois de arrefecer a água e a gelatina acrescentar 12 copos de álcool a 96 graus
Está pronta uma solução alcoólica gelatinosa.
Este
álcool em gel, terá de 72° a 75° graus.

terça-feira, 29 de setembro de 2009


O QUE VAI VER E OUVIR

NÃO DÁ PARA ACREDITAR!!!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009


PIERRE- AUGUSTE RENOIR

Pierre-Auguste Renoir (Limoges 25 de Fevereiro de 1841- Cagnes-sur-mer, 3 de Dezembro de 1919) foi um dos mais célebres pintores franceses e um dos mais importantes nomes do movimento impressionista
Desde o princípio sua obra foi influenciada pelo sensualismo e pela elegância do rococó, embora não faltasse um pouco da delicadeza de seu ofício anterior como decorador de porcelana. Seu principal objetivo, como ele próprio afirmava, era conseguir realizar uma obra agradável aos olhos.

Origem: Wikipédia

AGORA JÁ NÃO PODEM

ENGANAR A MALTA

O RESULTADO DAS ELEIÇÕES VAI SER MUITO PEDAGÓGICO!!!

Na próxima legislatura vai ser tudo muito mais claro.
Finalmente os partidos vão ser obrigados a clarificar, quais são os verdadeiros interesses que defendem.
O grande problema que este país tem enfrentado, assenta essencialmente no facto dos partidos dizerem uma coisa, fazerem outra e por outro lado, dizerem-se de esquerda e defenderem os interesses da direita ou sendo de direita, enganarem a malta a dizer que querem ver defendidos problemas e interesses que são nitidamente do foro da esquerda e de natureza popular.
É disto exemplo inesquecível, a forma constante como foi personalizado por Paulo Portas, finório presidente do CDS, ambíguo ideólogo, tonitruante porta-voz, astuto propagandista, sagaz cabeça de cartaz, polivalente faz-tudo, beijoqueiro e omnipresente feirante, ambíguo, absorvente, versátil e figura exclusiva desse partido.
O Partido Socialista, que se dizia um partido de esquerda, conseguiu com esse duvidoso argumento, fazer aprovar leis que eram absolutamente contra os interesses das classes trabalhadoras e que muitas vezes ainda eram piores, que as anteriormente propostas pela direita.
Manteve nestas eleições com muita dificuldade e alguma sorte, grande parte do seu eleitorado, argumentando até á exaustão as medidas de apoio social que fez aprovar e que serviram para camuflar o aspecto paradoxal de um partido dito socialista, transformar a caridade em medidas de justiça social.
Por outro lado o CDS, o partido mais á direita do leque partidário, disfarçou o verdadeiro alvo dos seus interesses, para conseguir cativar votos, mascarando a sua luta reivindicativa, com argumentos, que seriam próprias de partidos de esquerda.
De toda esta confusão, a votação final teve a suprema virtude de dar a cada partido, uma percentagem de votos que vai permitir clarificar o verdadeiro papel dos partidos políticos e o enquadramento correcto das classes que cada partido “diz”defender e que defende de facto.
Contrariamente ao que acontecia até agora, não mais vai ser possível confundir os interesses das populações e dos trabalhadores, com propostas legislativas e votações não condiziam com os valores correspondentes às ideologias dos respectivos partidos e classes sociais.
Agora, quando o partido do governo, que vai ser o Partido Socialista, propuser legislação á Assembleia da Republica, imediatamente se perceberá se está na sua intenção beneficiar o patronato e o capital, ou os trabalhadores e o povo como ideologicamente seria correcto.
O próprio CDS, vai ter a careca á mostra, quando de acordo com as palavras de ordem da campanha que lhe deram uma votação tão expressiva, se vir obrigado a negar o seu discurso, sempre que sobre essas matérias se pronunciar na Assembleia da Republica.
Aí se verá então que “não dá a bolota com a porcalhota” e será possível, ao PCP e ao Bloco, denunciar a demagogia que serviu para enganar os eleitores menos esclarecidos.
Por outro lado, sempre que o Partido Socialista apresentar legislação para ser aprovada, haverá ocasião para perceber e denunciar, se ela está de facto de acordo com a ideologia de esquerda, na medida em que se for aprovada com a ajuda do CDS ou do PSD e contra a votação do PCP e do Bloco, fica claro a natureza dos interesses que defende.
É fundamentalmente por esta razão que considero, contrariamente ao que acontecia anteriormente, se clarificará objectivamente de que lado está o partido do governo, o Partido Socialista.
E esta é a questão central, para alteração radical do rumo da politica do Partido Socialista.
Isto é igualmente uma questão fundamental, para situar cada partido, no lado da barricada em que realmente se encontra.
Até aqui, para a maioria da população, e até para muitos dos estão politicamente engajados no Partido Socialista, várias posições assumidas pela direcção do PS, era confusa e muitas vezes se serviu da tradicional afirmação de partido de esquerda e da sua designação de “socialista”, para demasiadas vezes fazer aprovar na Assembleia da Republica, legislação que se fosse proposta pelo PSD ou CDS, seria reprovada.
Este conflito de interesses na anterior legislatura, será agora completamente clarificante, com a nova posição relativa de todos os partidos, com assento parlamentar.
As posições da Esquerda e da Direita expressar-se-hão em conformidade, ficando o Partido Socialista claramente com o ónus da decisão, sempre que esta, por ventura, for favorável á direita, contrariando a sua génese ideológica.
Estão assim criadas condições para pressionar o Partido Socialista a tomar a posições correctas, com uma alteração profunda do seu percurso anterior, ou com a sua óbvia condenação em caso contrário.
Nessas circunstâncias, a sua condenação será secundada inequivocamente pela opinião pública, porque esta de uma forma geral se identifica sempre com os interesses populares e dos trabalhadores, em detrimento do grande capital e das grandes empresas monopolistas, quando isso se torna claro e evidente.



sábado, 26 de setembro de 2009

POEMA DE JORGE LUIZ BORGES

ONDE LERES AMIGO....... ACRESCENTA CAMARADA!!!

E quando amanhã fores votar,

pensa como um mundo solidário
era justo e necessário!!!

TESTAMENTO DE UM HOMEM QUE

DESISTIU!!!

ANÁLISE DE UM TEXTO DE EDUARDO PRADO COELHO

Eduardo Prado Coelho (EPC) teve a infelicidade de nascer num meio extremamente elitista, de classe média alta, de educação refinada, sem nunca ter estado sujeito como a maioria esmagadora do povo português, a uma vida de extrema dureza em que a luta pela sobrevivência, desde tempos imemoriais, tem castigado este povo.
Conheço mal a sua biografia. Foi pessoa que nunca me interessou particularmente, na medida em que a forma como analisava os factos políticos da vida corrente, normalmente não coincidiam de todo, com a minha opinião.
Sei que era considerado no meio intelectual como pessoa de grande qualidade e competência profissional.
Creio que foi um daqueles que tendo adoptado a ideologia marxista, nos seus arroubos de generosidade, durante a juventude, por opção mística e de qualquer outra natureza, tornou-se um militante anti-comunista, certamente por efeito das pressões do seu meio familiar, profissional, círculo de amizades e de certeza também pelas tentações do conforto económico e satisfação do seu ego, que falaram mais alto que as suas preocupações cívicas e de consciência, como é costume nesta classe de gente.
O texto que reproduzimos abaixo, escrito pouco antes de falecer (25/08/2007), pretende ser uma reflexão sobre todos nós e onde os portugueses são qualificados com urbana polidez, de indigentes civilizados.
Tem alguma razão na maior parte dos argumentos, mas falha quando a sua natureza de classe fala mais alto, que a sua inteligência ou o seu discernimento.
Porque estamos numa situação política, em que seremos chamados a exercer o nosso dever cívico de votar, em dois actos eleitorais, que poderiam até ajudar imenso a modificar o rumo do nosso destino e a provar a falta de razão que o Eduardo Prado Coelho demonstra no texto.
Parece-me oportuno esclarecer, que ao acrescentar os meus pontos de vista em itálico e com cor, tenho em consideração facilitar a compreensão das matérias em que estamos em desacordo.
Penso que não haveria melhor oportunidade para materializar o seu desejo de que termos de meditar nas causas (eu diria também, nas origens) das nossas idiossincrasias.

TÍTULO DO ARTIGO DE EPC PUBLICADO NO JORNAL “PÚBLICO”
PRECISA-SE DE MATÉRIA-PRIMA PARA CONSTRUIR UM PAÍS .

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres.
Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.
Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.
O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria-prima de um país.
Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA ( O que EPC classifica de “Esperteza”, eu chamaria “espírito de sobrevivência) é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.
Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada (por quem??) do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.
(De resto, que diferente mentalidade se pode esperar daqueles, que por virtude, não das “leis da morte se foram libertando”, mas daqueles que das leis e das condições da vida se foram libertando? Não tendo muitas vezes acesso aos bens essenciais, que instinto de solidariedade poderiam ter os nativos de um país , onde desde sempre a grande corrupção vem “de cima”e de todos os géneros?.Que diferentes mentalidades, uma sociedade tão mal dirigida, poderia gerar?
A solidariedade existe, mas reservada normalmente e por vezes em elevado grau, entre aqueles que são vítimas da exploração dos poderosos. Excepcionalmente, também entre muitos daqueles que por deformação religiosa, calam as injustiças sociais, porque sempre lhes ensinaram que “sempre houve e continuará a haver …..ricos e pobres” e a caridade é a forma de ganhar o céu.
Nem lhes passa pela cabeça que quem é vítima desse tipo de “solidariedade”, sente-a na esmagadora maioria dos casos ,como uma verdadeira e ignominiosa humilhação, consciente ou subconscientemente.
Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios, onde se paga por um só jornal.
E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.
(Este homem tinha como regra, a excepção, pois se fosse a enumerar os países onde isso acontece, chegavam os dedos de uma só mão. Mas dito assim, para quem não sabe, o argumento conta, embora seja ridículo como caracterízação.)
Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos. ( Não deixo de considerar relevante o argumento. Roubar só por si é absolutamente condenável, mas vejamos…..o que é que EPC, refere que caracteriza o ladrão das empresas.O empregado que leva para casa, folhas de papel, lápis, clips….está a gozar com a gente!!!!.E o patrão? E os patrões? Por acaso sou filho de um individuo que era chefe de vendas da Imprensa Nacional. Tinha acesso a resmas e resmas de papel de embrulho para todas a edições do Diário do Governo, cujas três edições diárias proporcionavam milhares de folhas que não eram consumidas. Nunca esse meu pai trouxe para casa uma só folha, a pesar dos insistentes pedidos que lhe fazia, pois davam óptimas capas para forrar os livros escolares. Só me lembro de ele trazer para casa, alguns diários do Goverrno que sobejavam e que eram cortados nas guilhotinas em quatro bocados, que nós utilizávamos como papel higiénico. Bateu com os exemplos a fraca porta, até porque o meu pai não era excepção. Conheço muita e muita gente com mentalidade semelhante. EPC é que estava “mal informado”)
Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.
(Se EPC argumentasse que as TV’s, deveriam ser um serviço público, na medida em que são um extraordinário veiculo de informação, formação, desenvolvimento, esclarecimento e sobretudo um precioso meio de cultura, já as falcatruas com descodificadores não pesaria como argumento, mas daria lugar a colocar as suas inegáveis qualidades intelectuais, a ensinar os caminhos para fazer com que o serviço prestado pelas TV’s, passasse a ser relevante e não o serviço estupidificante que é e cada vez mais, conscientemente embrutecedor. Quanto ao IRS, nós estamos de acordo, mas também aí, quem trabalha e quem de facto produz, tem um significado e uma importância pouco relevantes. Devia ter ido bater á porta dos grandes escritórios de advogados, onde especialistas em fiscalidade são régiamente pagos para defraudar o fisco. Mais uma vez, enganou-se no alvo!!!)
Pertenço a um país:
-Onde a falta de pontualidade é um hábito;
(pontualidade para ir matar a fome quando não se tem de comer? Pontualidade para ir para o trabalho, com os desgraçados transportes públicos que temos? Pontualidade para pagar a renda ou a prestação da casa, quando os desempregados são ás centenas de milhar, que sem culpa nenhuma foram colocados nessa situação.Falar de falta de pontualidade como reflexo da nossa incultura cívica, é olhar para a árvore e esquecer a floresta. Em que mundo pensaria EPC que estava a viver, para equacionar a ausência de rigor na pontualidade, como uma característica genética de tão graves consequências.)
-Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. (Devia ter começado por aqui, para encontrar a resposta para a maioria das suas elucubrações. Logo de seguida devia ter sido levado a questionar, na área das responsabilidades políticas do sistema, qual a sua verdadeira quota-parte. Salvo raríssimas excepções e durante curtíssimos espaço de tempo temos enorme dificuldade em encontrar na nossa história, exemplos de abnegação na defesa dos interesses do povo. Tenho dúvidas que os dedos das duas mão não cheguem, para fazer a contabilidade dessas personalidades.)
-Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e, depois, reclamam do governo por não limpar os esgotos. (ó valha-me São Juvenal protector dos pescadores do Brasil, como era possível EPC, já no seu tempo, não ver a quantidade de desgraçados, que iam e vão atrás desse lixo, a ver se lá há algo que comer, que se possa aproveitar ou vender? E ainda o flagelo do desemprego, não tinha a dimensão actual!!! Era bom que os problemas ecológicos se resumissem a evitar o lixo nas ruas e o entupimento dos esgotos)
-Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros
.(EPC andava a Leste do paraíso. Nunca deve ter visto o Balanço e Contas das companhias das Aguas e Electricidade. Não podemos esquecer que já no seu tempo se fazia sentir a gula do capitalismo para privatização da água e das energias, e certamente não era por darem prejuízo. Hoje já é um facto consumado, o que dadas as profundas preocupações de EPC, deve fazer com que ele dê muitas voltas lá campa onde está, alegoria muito vulgar na voz do povo, para expressar casos como este!)
-Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é 'muito chato ter que ler') e não há consciência nem memória política, histórica nem económica.
(E ainda o nosso EPC, não sabia dos malefícios e estragos que a D.Maria de Lourdes Rodrigues iria fazer ao nosso ensino e aos seus professores.)
-Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar alguns.
(Estamos de acordo, só achamos que dois dias é um exagero e a palavra trabalhar é uma questão semântica. Para evitar a chatice de ter que justificar as faltas, deram-se ao trabalho de no caso dos deputados, legislar no sentido de dispensarem esses políticos de ter de dar qualquer justificação das faltas que não excedam uma semana. Vá lá!!!Se faltarem mais de oito dias, aí já precisam de ter a trabalheira de justificar. Agora em relação á classe média, que a chateiam é verdade e não só, por isso estão a fazer tudo para que ela desapareça. Nessa altura será menos uma classe social a reclamar)
Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser 'compradas', sem se fazer qualquer exame. (Olha que admiração.EPC estava muito atrazado. Agora até os votos dentro de um partido de poder, são comprados. Que gaita, não está tudo dito???)
-Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não lhe dar o lugar. (Acho um pouco exagerado, mas aceito o argumento, embora pense que está a falar de cor, porque em 79 anos de vida, a viajar em transportes públicos, sempre me lembro de haver muita civilidade nesse tipo de problemas. Se calhar disseram-lhe que era assim, para denegrirem os que andam em transportes públicos e calar a consciência dos privilegiados que só andam em viatura privada e com "chauffeur".

(gostaram deste francesismo?)).
-Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. (Ás vezes. Uma que fosse e era mal feito, mas não acho que seja argumento de peso, por pecar por excesso.)
-Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes. (Que raio terá o cú a ver com as calças???)
Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado.(Se EPC fosse vivo, dizia-lhe assim: Olha meu querido (este querido era para ele ficar bem disposto comigo) não te admires, que o Partido Socialista quando teve três carrinhas multadas por infracção ao código da estrada, nestas eleições, em 10 horas mandou libertar os veículos apreendidos e perdoar as dívidas. Um dirigente foi apanhado a 240 á hora na auto-estrada e não lhe aconteceu nada. Estes casos, são muito mais graves que tentar corromper um qualquer agente da autoridade, porque o que se está a corromper é toda a Instituição. É como estar a dizer á corporação da GNR, olhem lá que há tipos acima da Lei e nós não vamos consentir que lhes toquem. Têm que rever as vossas concepções de dignidade profissional. Por isso de futuro, já sabem, pessoal do governo, do PS, amigos e conhecidos estão acima da Lei. Portanto juizinho!!!)
Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas. (Ai meu Deus!!! E se lhe dissessem que o mesmo Cavaco Silva, depois de um seu assessor ter feito a denúncia que andavam a fazer escutas clandestinas ao Presidente da Republica, sendo voz pública que a fonte tinha sido o próprio Presidente, que ainda por cima fez a fita de o demitir o seu assessor de confiança há mais de 20 anos e logo de seguida emenda a mão e diz que ele vai continuar ao serviço de Belém. Meu Deus, se o EPC fosse vivo, tinha de ser internado, por estar a rir 24 horas por dia!!!)
Não. Não. Não. Já basta.
Como 'matéria prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa. (Totalmente de acordo. Tanto assim é, que passamos a vida a mandar emigrar toda a inteligência que geramos, certamente por uma questão de fingir, que temos inteligência e mão de obra de sobra!!!E sobretudo o dinheiro que os emigrante nos vão enviando, não nos faz falta nenhuma. A vaca leiteira da União Europeia que é muito generosa, tem chegado. Até breve, dizemos nós e que até está para muito próximo de certeza!.)
Esses defeitos, essa 'CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA' congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS . Nascidos aqui, não noutra parte...
Fico triste. (Como eu o entendo! Eu também comecei por ficar muito triste, mas quando cresci e comecei a perceber a razão das coisas, fiquei danado. Quando tomei consciência que o sistema capitalista era uma nódoa, que servia para gáudio de uns poucos e exploração dos restantes, percebemos que tínhamos a fazer algo. Procurámos lutar para emendar o rumo das coisas. Procurámos e encontramos o sitio certo, onde podia ser mais útil o nosso esforço. Quando descobrimos o Partido Comunista Português, ficámos com a certeza de aquele colectivo era a solução para um projecto de vida que correspondia aos nossos anseios, de uma sociedade mais justa e mais fraterna, que lutava para que a cada homem e a cada mulher fosse atribuída a dignidade de ser tratado como todo o ser humano merece. Se EPC tivesse percebido isso, não tinha tido necessidade de escrever este texto. Em sua substituição escreveria outro onde reivindicasse para todos os mesmos direitos e o fim da exploração do homem pelo homem).
Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria-prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.
E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.
Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.
Qual é a alternativa? Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? (Não resisto ao pecado de considerar que chega a parecer impossível, que um homem que segundo me parece chegou a navegar nas teorias do Marxismo, não tenha tido a inteligência de perceber a raiz do problema. Como é que um “famigerado” intelectual, (se calhar por isso mesmo!) não percebeu que o capitalismo era o fundamento de todo o mal da nossa sociedade? Como é possível que eu, um analfabeto (se tivesse a veleidade de me querer comparar com ele), me sinta indignado por não querer arriscar a considerá-lo intelectualmente desonesto, sentir que não é possível, uma pessoa minimamente inteligente e estruturalmente culta, não perceber que o capitalismo é o grande culpado de todos os argumentos que esgrime contra a nossa natureza de nascidos em Portugal???
Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados... igualmente abusados!
É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda... (Eu diria que a globalidade dos crimes do capitalismos estão desde a génese do sistema, e que só com a Globalização começaram a ser equacionados. Por outro lado, começo a duvidar que EPC alguma vez tenha lido o Manifesto Comunista. A sério!!! Isso explicaria muita coisa!)
Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias.
Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.
Está muito claro... Somos nós que temos que mudar.
Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos:
Desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e, francamente, somos tolerantes com o fracasso.
É a indústria da desculpa e da estupidez. (É a industria dos compadres com poderes, para resolverem todos os problemas dos amigos e familiares. Isto, tenho eu a certeza que ele sabia, agora porque faz de conta, é que eu não percebo (Ou percebo e não quero acreditar, porque tinha pensado que que ele só desonesto intelectualmente.)
Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.
Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO DE QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO .
AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO NOUTRO LADO.
E você, o que pensa ?... MEDITE !
Olhe, siga o conselho de EPC, e aproveite o dia de amanhã, para tentar retirar argumentos ao Senhor Professor Doutor Eduardo Prado Coelho, vote no Partido Comunista Português, porque pode ter a certeza que quando ele for poder, tudo isto leva uma grande volta e vai renascer a esperança de um país novo, cheio de confiança no futuro.
Faça isso e vai ver que não se arrepende.

CORO DOS ANTIGOS ORFEONISTAS

CONCERTO NO CONVENTO DE SANTA CLARA-A-VELHA
DE COIMBRA

Estamos em véspera de eleições para a Assembleia da Republica.
Hoje é o dia destinado á reflexão.
Neste dia, gostaríamos de desviar a nossa atenção para as coisa belas da vida, como por exemplo, ouvir este maravilhoso “Coro dos Antigos Orfeonistas”, a cantar a encantadora “Coimbra é uma Lição”, de uma forma tão comovente.
Mas a ternura que nos assalta, confunde-nos as lágrimas de emoção com o sentimento de amargura que as dificuldades da vida estão a colocar a tantos e tantos portugueses.
O entusiasmo e a alegria que Sócrates fingia querer transmitir, embebedado com o resultado das sondagens que aparentemente lhe atribuíam a vitória depois de amanhã, sabia-nos ao mau gosto de uma anedota, contada durante o enterro de uma pessoa muito querida.
O efeito das dificuldades que estes governantes e ex governantes, nos estão a fazer passar e se preparam para continuar
ainda muito pior, a sua fingida preocupação com os problemas dos nossos jovens, dos nossos desempregados, dos nossos agricultores, enchendo a boca com demagógicas preocupações com os pequenos e médios empresários, fazem-me sentir tão mal, que nem a gritar a nossa indignação, sentiria algum alívio.
resta por agora, ir colocar o voto e desejar que todos aqueles que estão a ser enganados e manipulados, num momento de lucidez, pensem bem e votem em quem procura fazer uma rotura com esta política velha de 30 anos, para que de facto seja possível uma nova política, uma nova esperança.
Bem podem desculpar-se, os partidos que nos têm governado, que a culpa “é do outro”, porque lucidamente ninguém aceita esse argumento.
É ao PS,PSD e ao CDS, que temos de assacar a responsabilidade de tudo o que se está a passar e o horror que se desenha inexoravelmente no horizonte.
Só há uma esperança: Que a votação do próximo domingo permitir alterar o rumo das políticas de direita.
Pense nisto e vote bem!!!
Agora ouçam os velhos alunos da academia coimbrã e vão perceber a minha perturbação.






sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O METRO DE MOSCOVO

Palácios Subterrâneos


Cada estação é mais bonita que a seguinte.

Arte, grandiosidade e fabulosa magnificência ao serviço ao povo

Pode ler-se na wikipédia:
" Os sistemas de metropolitano são muitas vezes considerados elementos característicos do desenvolvimento económico, social e tecnológico de um país. Um exemplo disso são as antigas Repúblicas da União Soviética.
As paredes de mármore, os pavimentos de granito polido e os mosaicos luxuosos enfeitam as muitas estações do Metro de Moscovo ou de de São Petersburgo considerados dos mais belos do mundo.
Nesses países, onde os ideias socialistas dominavam, era importante dar a conhecer a arte ao povo, deixando esta de estar limitada aos mais ricos; desta forma faziam-se grandes estações, em estilo clássico, utilizando materiais dispendiosos, razão pela qual denominam esta estações de "palácios subterrâneos".
Contudo, a arte nas estações de metropolitano tem também um sentido funcional.

As estações mais ornamentadas revelam uma maior afluência de passageiros, em detrimento das mais simples.
O investimento numa boa arquitectura, na limpeza, em acessibilidades, em iluminação, revela-se uma boa estratégia para tirar as pessoas dos carros e pô-las a andar de metro."

E também se pode ler no Arqblog-blog de arquitectura, design, urbanismo:

“Dos sistemas de metro de todo o mundo, o Metro de Moscovo é considerado o expoente máximo.

Beleza e ornamentação brotam do interior da terra em 165 estações, ligadas por 265 km de carris e 11 linhas.
A distância média entre estações é de 1.8 km.
A construção do Metro de Moscovo iniciou-se em 1930, antes da 2ª Grande Guerra Mundial, tornando-se famoso pelas suas estações luxuosas com recurso ao mármore, mosaico e pedras semi-preciosas.
Existem 10 anéis radiais e uma linha circular que as intersecta.
Um facto interessante é que para diferenciar a direcção de viagem, é utilizada uma voz masculina no sentido dos ponteiros do relógio e voz feminina no sentido contrário.
O mesmo se aplica também se nos aproximamos do centro, ou nos afastamos.”

NESTE LINK
ASSEMBLEIA DA RE (GABOFE) PÚBLICA

NOVO REGIME DE PRESENÇAS E FALTAS AO PLENÁRIO

Resolução da Assembleia da República n.º 21/2009
Aprova o regime de presenças e faltas ao Plenário
Diário da República, 1.ª série — N.º 60 — 26 de Março de 2009

7 — A palavra do Deputado faz fé, não carecendo por isso de comprovativos adicionais. Quando for invocado o motivo de doença, poderá, porém, ser exigido atestado médico caso a situação se prolongue por mais de uma semana”.

(Se clicar sobre a imagem pode aumentar o seu tamanho)



























.
.
Em Portugal, até agora, havia duas classes profissionais privilegiadas no cumprimento de horários de trabalho:
Os banqueiros e os médicos.
Fiquei hoje a saber, embora com o atraso que estas coisas normalmente levam para chegar aos ouvidos do comum dos mortais, que nasceu mais uma nova categoria profissional, privilegiada com a concessão de ir para o trabalho, quando quiser…….e se quiser!!!
Farto de saber que os deputados são uma categoria de seres humanos acima de qualquer classificação sociológica, tenho a certeza que as limitações impostas aos deputados, relativas ao prazo da ausência de uma semana, podem tornar-se ilimitadas, se os deputados aparecerem nas votações, de vez em quando, durante um período “experimental”.
Diz-me a experiência, que haverá uma alínea do Regulamento que fará uma salvaguarda de excepção ao regime agora decretado, no sentido de evitar que os seus “Paus mandados” faltem às votações em que o chefe do partido dê ordem para estarem presentes, para fazer passar a legislação que lhe interessa.
Como os deputados do Partido Comunista Português nunca faltam, nem sequer podem roer as unhas de inveja, porque vão para Assembleia da Republica, com espírito de missão e de tal modo, que devolvem ao seu Partido a totalidade do ordenado que recebem a mais do que receberiam no exercício da sua profissão, antes de serem deputados.
Ora aqui está uma questão que deve levar as pessoas á considerar seriamente no próximo domingo, quando forem votar.
Será possível considerar o Partido Comunista Português, um partido igual aos outros?
A resposta é óbvia. NÃO!!
Só no Partido Comunista Português, o empenhamento, a devoção interessada e honesta dos seus militantes no bem comum, leva a que uma das cláusulas dos Estatutos do Partido diga:
NENHUM MILITANTE DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS, PODE SER BENEFICIADO OU PREJUDICADO, PELO FACTO DE DESEMPENHAR UMA TAREFA, EM NOME DO PARTIDO.
Um partido que dá esta garantia de sentido de missão, de compromisso na luta pela transformação desta sociedade e por uma rotura absoluta com a política que tem sido levada a cabo pelo Partido Socialista, deve merecer do eleitorado um voto de confiança, que se traduzirá na prática por colocar a cruzinha do voto em cima do PCP- PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS.
O voto no PCP é um voto garantido, porque este é o partido, que desde sempre, mantém a coerência de lutar pela Liberdade, pela igualdade de oportunidades, e pela fraternidade, sem vacilações, dúvidas, perplexidades ou hesitações.


quinta-feira, 24 de setembro de 2009


ITÁLIA-BERLUSCONI-SÓCRATES
ONDE SE FALA E SE CANTA
A PROPÓSITO DAS NOSSAS ELEIÇÕES DE DOMINGO
“Uma coisa perigosamente parecida com um ser humano, uma coisa que dá festas, organiza orgias e manda num país chamado Itália.”
É assim que José Saramago se refere a Sílvio Berlusconi, num artigo que escreveu no jornal “El País”.“Este é o primeiro-ministro italiano”, continua Saramago, realçando que o seu comportamento vai manchar a música de Verdi, a acção política de Garibaldi e a Itália do século XIX, que foi um guia espiritual da Europa.
E lança uma questão: “Será que os italianos acabarão por permiti-lo?”
Nós em Portugal, não temos um problema semelhante.
Mas a diferença está na natureza, não na gravidade!!!
Em Itália temos um homem que não olha a meios para satisfazer o seu ego.
Em Portugal também temos um homem que não olha a meios para satisfazer o seu ego.
Em Itália temos um homem com um projecto político, para satisfação de um projecto pessoal.
Em Portugal temos um homem com um projecto pessoal, que passa por um objectivo político.
E tal como Saramago fazemos a pergunta: “Será que os portugueses acabarão por permiti-lo?”
O que no fundo, é comum a ambos, tem a ver com os objectivos das políticas de direita, que ambos perseguem, embora em partidos de natureza diferente.
Satisfação dos “egos”, protecção dos poderosos, demagogia nas palavras, e o povo que se lixe!!!
No próximo domingo faça justiça pelas suas mão, aquela que por agora está ao seu alcance!!!
Lembre-se que muito poucos fazem muitos, e parecendo que é pouco o seu voto, lembre-se da multidão que pensa como você!
É essa a grande virtude do voto, fazer de si, parte da solução!
Não é “toda” a solução, mas ajuda muito!!!
Agora, para que tudo não seja tão mau, anime-se com a voz do maravilhoso Pavarotti.
POESIA NA LUTA

A PROPÓSITO DAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES

O pior analfabeto é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa
dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguel,do sapato e do remédio
dependem de decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro
que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política.

Não sabe o imbecil que, da sua ignorância
nasce a prostituta,
o menor abandonado,
o assaltante
e o pior dos bandidos que é o político vigarista,
pilantra,o corrupto
e o lacaio dos exploradores do povo.

BERTOLT BRECHT

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

ÍNDIA

PAÍS DE BELEZAS INCRIVEIS E MISÉRIAS INENARRÁVEIS

Há tempos colocámos neste Blogue um “Power point”, que mostrava o lado miserável, sujo e de tradições religiosas cujas práticas exigem rituais tão irracionais, que se tornam absolutamente inaceitáveis nos tempos que correm, seja qual for o ponto de vista.
Viam-se nas margens do Ganges cadáveres insepultos, a serem devorados pelos abutres, gente que faziam as suas rituais abluções, em águas conspurcadas com todo o tipo de imundice, desde restos de vegetais a cadáveres humanos.
Este um dos lados negativos desta incomensurável Índia, que pelo índice de desenvolvimento que varre o país, propõe-se em breve tornar-se uma das economias mais determinantes, juntamente com China, Brasil e as economias emergentes do Sueste Asiático.
Por enquanto ainda vai vendendo a suas maiores inteligências aos Estados Unidos, mas a tendência é para as colocar ao serviço da sua pátria.
Quando um dia os norte-americanos tiverem de prescindir de recrutar a inteligência estrangeira, como desde sempre o fizeram, para manter a sua superioridade nos vários campos da ciência e do conhecimento, a superioridade técnica e científica que hoje lhe é reconhecida, tomará a sua natural dimensão, com as consequências que são facilmente previsíveis.
Quem não vai ficar nada satisfeito são os magnates americanos, que dessa imoral situação se têm aproveitado desde sempre.
A principal consequência dessa nova fase do desenvolvimento, é obrigar os norte-americanos a terem de recorrer á mão-de-obra interna, o que obrigatoriamente vai obrigar a alterar todo o sistema de ensino e a terem de alargar os cordões á bolsa, para poderem contar com a inteligência nativa.
Mas até lá, vamos nós que também temos dispensado para eles muita inteligência que nos faz falta, lutar para conseguir criar as condições que permitam manter neste solo pátrio os seus filhos mais capazes, em condições suficientemente atractivas, para que possam ajudar este pobre país, a sair do seu eterno subdesenvolvimento.
No próximo domingo, quando for votar, pense um pouco neste aspecto da nossa vida comum, e quando colocar o quadradinho da sua opção na urna, tenha em conta também a verdadeira calamidade que tem sido o esvaimento da inteligência portuguesa para o estrangeiro e quem tem sido os seus principais culpados.
Há que mudar de política e o próximo acto eleitoral, pode ser o primeiro passo nesse sentido.
Não se esqueça, vote bem e agora veja tranquilamente algumas das maravilhosas imagens da Índia.
SE ADMIRAR COMO MERECEM, AS BELEZAS QUE LHE APRESENTAMOS, NEM PRECISA DE CLICAR COM O RATO
ESTÁ TUDO DOIDO!!!

AI! VALHA-ME SÃO BONIFÁCIO!!!

Esta última semana de campanha, tem sido um autêntico regabofe para os comentadores políticos.
Para que a hierarquia não seja ofendida, começo pelo Senhor Presidente da Republica.
Homem sério, impoluto, de uma só palavra, que não se deixa influenciar, que pensa pela sua cabeça, só de olhar para ele ficamos atrofiados com aquela pose escorreita, de quem engoliu o cabo da vassoura que me desapareceu, campeão exemplar da austeridade……….deu-me um grande desgosto!!!
Então não é que eu tinha ouvido ele dizer, com estes olhos que a terra há-de comer, que só iria falar o caso das escutas depois das eleições?
Então não é que pelos vistos, deu ouvidos ao Marcelo Rebelo de Sousa e vai daí demite Fernando Lima, seu adjunto de confiança há mais de 20 anos?
Nós que o julgávamos amigo do seu amigo, capaz de lhe assinar um cheque em branco, fiel leal e dedicado como um “Serra da Estrela”, mandou o homem para casa, porque acreditou nas patranhas profetizadas por aquele mestre do xadrez político?
Olha…..agora que se aguente!
Eu já não faço mais nada por ele!!!
Vou deixar de me sacrificar a ouvi-lo debitar na televisão!!!
É verdade que me vai dar um trabalhão ter o telecomando ao pé de mim para o calar, quando ele aparecer, mas vale a pena o sacrifício. Fico mais bem disposto e não tenho que ir lavar os ouvidos em seguida, como era hábito !!!
Outra medida que vou tomar, é deixar de me calar quando ouvir alguém dizer…. que ele é o presidente de todos os portugueses.
Vou recordar nessa altura, que o Mário Soares é que tem direito a receber direitos de autor dessa fraude….quero dizer dessa frase!!!
Fiquei também a saber que o futuro primeiro-ministro, é o chefe do Bloco Francisco Louçã.
A minha prima quando ouviu ele dizer, que já estava preparado para isso, exclamou com grande ênfase….
Querias!!!!.....Querias!!!....Mas não te dou!!!
Eu só me admirei porque ela é uma pessoa inteligente, culta e até bem-disposta, não se riu e não percebeu que ele estava a contar anedotas.
Agora por falar em anedotas, quem não deve ter achado graça nenhuma foi a vice-presidente da Associação dos Pequenos e Médias Empresas, Clementina Henriques.
O economista de serviço Camilo Lourenço, Grande Guru, Estrela Refulgente da nossa Economia, Complexado Ex-Director da Revista Exame, Cometa de numerosos programas da nossa televisão, Profeta Diplomado das nossa Bolsa de Valores, Homem dos 8 Talentos que bota palavra em tudo o que é sítio e até manda bocas no futebol, Corredor de fundo atrás do lugar de ministro das finanças, Fino, Subtil e Sensato Cavalheiro, atreveu-se num debate no Rádio Clube Português “Economia e Finanças”, a chamar estúpida a Clementina Henriques, com todas as letras, por estar defender o fim do PEC e a baixa do IVA para as pequenas e microempresas, e achar bem que o Partido Comunista Português, inclua essa medida no seu programa.
Olhe senhor D.Camilo…..isso não se diz, muito menos a uma senhora e praticamente numa casa que parece sua, tal a obsessiva utilização que aí se faz dos seus talentos, onde ela era convidada por si, certamente!!!.
Agora que lhe chamei D.Camilo, lembrei-me do actor Fernandel no papel de padre, contra o D.Pepone irredutível comunista que o fazia dizer montes de disparates, tal como o senhor quando lhe cheira a comunismo.
Agora para terminar em beleza, não posso deixar de referir o prazer que me deu, ouvir o meu querido camarada Jerónimo de Sousa, no programa dos “Gatos Fedorentos, Esmiúça os Sufrágios”.
A sua simplicidade natural, em contraste com a artificial naturalidade de todos os anteriores convidados, com especial destaque para José Sócrates, Joana Amaral Dias e aquele para quem esse programa deve ter constituído uma terrível provação, Paulo Rangel, ex-líder da bancada do PSD e actual deputado europeu.
Quero aqui relembrar, porque talvez tenha passado despercebido o desabafo de Ricardo Pereira, que reconhecendo o talento, inteligência, honestidade dos conceitos, bem como a esmagadora diferença que fez dos outros intervenientes, tenha confessado no fim, algo que significava no fundo, que tinha pena de já não ser de militante do PCP.
Não podia ter sido mais esclarecedor, da superioridade moral dos comunistas!!!
Se julgam que estou a exagerar, vejam na coluna do lado a sua intervenção!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009


A FAVELIZAÇÃO DO DUBAI







Esta é uma vista aérea da "Dubai Palm Island", cujas imagens em pormenor, são apresentados no "Power point" final
A questão do Dubai é um monumental escândalo.
Todo o mundo que sabe da orgíaca proliferação de excessos, que é o Dubai, está preparada para raciocinar sobre a situação, como uma deriva do petróleo todo poderoso.
Não é verdade!!!.
Só 5% do petróleo local tem responsabilidades naquele deboche .
O resto é derivado não do petróleo, mas do dinheiro que inunda o "offshore" da zona franca e nem o governo do emirato controla.
Não o faz, voluntariamente, para atrair investimento que possa satisfazer os prazeres mais extravagantes dos milionários, que descobriram uma zona onde podem satisfazer todos os caprichos, que o excesso de dinheiro pode permitir.
Pavilhões onde se faz esqui em 6 pistas, em que a maior tem 600 metros, com um declive de 10%.
A temperatura interior é de 6 graus negativos, enquanto no exterior as temperaturas ronda os 45 graus centígrados.
Foram construidos de raiz, canais em pleno deserto, a imitar Veneza.
A 60 quilómetros do Dubai, Spas e piscinas, com florestas artificiais, para propiciar safaris com caça grossa e possibilidade de gozar junto de nativos á noite, as deliciosas fogueiras, com exibição do folclore e da vivência dos nómadas árabes, em pleno deserto.
A imitação da Disneylândia em tamanho 6 vezes superior, com pirâmides do tamanho das do Egipto, uma torre Eiffel 20 metros mais alta que a original, recriação dos jardins suspensos da Babilónia, etc.,etc.
Prédios onde os andares giram á voz do dono,a fim de variar o horizonte. mais uma série inenarrável de coisas que só o luxo consegue imaginar e que se torna impossível de descrever agora.
Prometo que voltarei a este tema, mais pormenorizada e documentadamente, em continuação dos três artigos pelo menos, que já escrevi sobre este assunto, neste Blogue.
Por agora contentem-se com a apreciação das favelas lá do sítio, destinadas aos mais pobres.
Quando digo aos mais pobres, não é força de expressão, porque os mais ricos têm ilhas privadas, criadas artificialmente , embora estas "favelas" também tenham sido edificadas na sua totalidade, em areais igualmente criados artificialmente
para esse fim.
Quando criaram as ilhas que representavam um planisfério terrestre e imitavam a forma dos vários países do mundo, foi a iniciativa designada por “World Islands”.
Todas estas ilhas foram vendidas em menpos de 6 meses.
Para corresponder á enorme procura, estão agora a construir uma réplica do “Planisfério Celeste”, a fim de tornar inesgotável o numero de ilhas, para que possam satisfazer o imenso apetite, de todos os nababos deste mundo.
Para além dessas ilhas, há os hotéis mais luxuosos que se possa imaginar, entre os quais o “Burj el Arab”, único em todo o mundo, classificado com 7 estrelas, onde colunas do hall de entrada com 180 metros de altura, bem como as varandas de todos os andares
que dão para a entrada, são forradas a ouro.
Só lá entram os clientes e estes são transportados pela estrada privativa, que liga o hotel ao continente, em “Rolls Royces” pertencentes ao hotel.
Por agora contente-se com as favelas do Dubai

PARA APRECIAR TODA AQUELA POBREZA, NEM PRECISA DE CLICAR.
NÓS, PARA ALIVIAR A TRISTEZA QUE DÁ, TANTA MISÉRIA, ATÉ COLOCÁMOS UMA MÚSICA LINDA PARA COMPENSAR.

NESTE LINK
A CEREJA NO CIMO DO BOLO

NOVOS FACTOS NA INVESTIGAÇÃO DO

PERCURSO ACADÉMICO DE JOSÉ SÓCRATES

Vamos publicar neste Blogue a reprodução de um livro, que trata da investigação aprofundada, ao caso do percurso académico do “engenheiro” Sócrates.
Logo no início da obra, o autor António Balbino Caldeira, certamente a conselho dos seus advogados Dr. José Maria Martins e Dr. Ramiro Miguel, viu-se na necessidade de colocar, um pequeno texto de carácter jurídico, para que nas ruas, ruelas, avenidas, vielas e alamedas da nossa justiça, não pudesse ser encontrado nenhum argumentos que em tribunal, pudesse servir para acusar o autor de difamação ou pelo menos de falso testemunho, embora todos os argumentos assentem em factos reais e comprovados.
As medidas que o autor relata que teve de tomar, para evitar chantagens e na defesa e desenvolvimento da sua investigação, chegou mesmo a colocar em risco a sua própria vida, segundo confessa.
Chega a parecer um tratado das 1001 maneiras de ser vítima de uma conspiração, digna de um país do terceiro mundo ou até as que caracterizam a América Latina ou o Médio Oriente.
Colocámos logo no início deste texto, a profissão de engenheiro entre aspas, porque de facto, é ilegítimo chamar engenheiro ao nosso (ainda!!!) primeiro ministro Sócrates.
Quando agora se disfarça a sua profissão, dizendo-o “licenciado em engenharia civil”, como é óbvio, todos nós sabemos ou deveríamos saber, que licenciatura, não é profissão e apelidar-se de engenheiro, é um ilícito punível por lei!!!
Ao que nós chegámos!!!
A deriva totalitária e a falada asfixia democrática ou asfixia social, existe de facto, e porque “cautela e caldos de galinha”nunca fizeram mal a ninguém, neste caso, aquele preâmbulo jurídico, é uma precaução absolutamente justificada.
Sempre procurámos denunciar tais factos e nunca estivemos á espera do período eleitoral para fazer disso bandeira, á falta de pior.
Antigamente o medo vinha da PIDE, das denúncias políticas, dos bufos e dos tribunais plenários, que lhes davam cobertura.
De há muito tempo para cá, principalmente desde que o governo de Sócrates assumiu o poder, o medo é de outra natureza, com origem diferente, diferentes interpretes, mas de igual intensidade.
É o medo de falar e perder o emprego, é o medo de perder o negócio, é o medo de ser marginalizado pelo renascido favorecimento dos protegidos.
Reapareceram os padrinhos com influência no poder e nos empregos.
Reapareceram os que sem valor que o justifique, são promovidos ou premiados, são protegidos nos negócios e privilegiados até nas repartições e serviços públicos.
A corrupção anda de boca em boca.
Ser militante do Partido Socialista, é hoje uma verdadeira hipótese, para resolver não só o problema do emprego como de muitos outros.
O descaramento chega ao ponto de um organismo do Estado, dependente directamente do ministro da Administração Interna, Rui Pereira, ordenar o perdão á multa e apreensão determinadas por agentes da GNR (apenas dez horas antes!!!) sobre três carrinhas do PS, que andavam ilegalmente em campanha eleitoral, sob o ridículo argumento que o exercício das liberdades naquele caso, estava acima da lei.
Será que o exercício das liberdades neste caso, estava mesmo acima da Lei, ou é o PS que se considera acima da Lei?.
Que moral e critério restará aos agentes da autoridade, para manter uma atitude digna e eficiente, no exercício honrado e competente da sua profissão?
Generaliza-se o conhecimento de casos e escândalos que envergonham a gente honesta.
Chega-se a ouvir pessoas que já tiveram grandes responsabilidades no governo deste país, considerar que ele é pequeno demais, para tanta roubalheira, como se o problema fosse de tamanho e não da qualidade e acção dos seus dirigentes.
A luta política tornou-se desprezível e a nobreza do seu carácter, reduz-se perante a opinião pública, sua principal interessada.
António Balbino Caldeira, autor do blogue “Doportugalprofundo”, publicou este livro “O Dossiê Sócrates”, que já vai na sua 2ª edição em papel e dada a sua reconhecida importância e para sua maior difusão, resolveu dá-lo a público e permitir o acesso á sua leitura através da Internet.
Principia a obra, na sua vasta relação de agradecimentos, por esclarecer a identidade de muitos outros Blogues e importantes personalidades que também deram o seu testemunho.
É uma colaboração extensa e preciosa, que dá consistência á ansiedade e apreensão, com que todos estamos a viver o rumo que as coisas em Portugal, estão a tomar.
Já ninguém põe em dúvida o futuro negro que nos espera.
O que é fantástico, é que poucos exigem contas aos responsáveis pela situação, e antes pelo contrário, nos “fait divers”, procuram desesperadamente escamotear a realidade e empenhar a nossa atenção.
Todo o esforço que se faça, na denúncia desta realidade, é um acto patriótico.
A difusão deste livro está também, embora em segundo plano, na linha da defesa dos direitos sagrados na nossa Constituição, que também por si só, estão em risco de deixar de ser argumento legal para condenar tanta imoralidade dada a possibilidade que se levanta, de através da associação das forças mais reaccionárias, a sua revisão conseguir retirar-lhe os aspectos mais democráticos.
Esta previsão, este perigo, não é nenhum exagero.
Ele existe e tragicamente é uma realidade!!!
Bastaria fazer uma pequena retrospectiva do que têm sido essas revisões desde o 25 de Abril, para perceber como por acções de compromissos com a direita, ela paulatinamente se tem vindo a transformar.
Bastará avaliar as consequências que têm tido essas revisões, para se perceber o risco que corremos, se na próxima legislatura, cujo prazo legal torna possível a revisão, puder contar com uma maioria de dois terços de forças reaccionárias de direita, eventualmente eleitas no acto eleitoral do próximo domingo, como seria o caso, se o PSD, mais Portas, mais Sócrates (por incrível que pareça!!!) constituíssem uma maioria de dois terços.
Consideramos Sócrates um perigo, de dupla personalidade, actor de vários talentos, mentiroso compulsivo e capaz de todas as manobras para sustentar o Poder, como forma patológica de afirmação pessoal, chegando ao ponto de se assinar com um aristocrático “de Carvalho” (página 219, da referida obra), para tentar renegar a sua origem plebeia, de simples José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa.
Até a velha raposa Mário Soares, utiliza o seu testemunho a favor de Sócrates, porque sabe quanta trampa existe no seu curricula, e as consequências que qualquer político honesto se veria obrigado a denunciar, sobre a sua verdadeira responsabilidade na desgraçada situação em que Portugal se encontra.
Tal denúncia, sabe-o ele perfeitamente, deitaria por terra todo o prestígio que acumulou através dos tempos, com a conivência de todos os políticos debochados e corruptos que o acompanharam e manipularam as suas acções, no ataque obsessivo que fez á Revolução do 25 de Abril.
Colocamos hoje á vossa disposição este precioso livro, para dar tempo até ao próximo domingo, de terem mais um argumento de peso para formar a vossa opinião e utilizar o voto, como arma suprema que é, da forma mais eficaz.
Façamos daquele dia, um dia histórico em que elejamos políticos que estejam á altura de fazer a nossa economia em particular e o nosso país em geral, arrepiar caminho e definirem uma verdadeira rotura política.
Formar a vossa opinião, em argumentos mais sólidos, baseados em factos indesmentíveis, coloca-nos em consciência o dever de cidadania que é votar, como um dever de sobrevivência.
Que votem bem é o nosso apelo.
Agora pode ter acesso a esta importantíssima obra
AQUI .

sábado, 19 de setembro de 2009

O SOCIALISMO E AS

PRÓXIMAS ELEIÇÕES

LIÇÕES QUE “A CRISE” NOS DEU E
JAMAIS PODEREMOS ESQUECER.

Aproxima-se o dia 27 de Setembro, ocasião em que iremos ser chamados a deitar a nossa 9.462.645ª parte nas urnas, para permitir que um conjunto de indivíduos, na forma “legal” que a nossa Constituição determina, passe a ter o direito de nos governar durante os próximos 4 anos.
Não temos sido muito felizes, no resultado final dessa escolha!
Que o diga a melancolia política que, de uma forma geral invade o espírito da maioria dos portugueses.
Escapam três tipos de eleitores:
1 – Os que aproveitando a relação de forças do “Sistema”, tiram dele todos os benefícios.
2 – Os que por desconhecimento, irreflexão, ignorância, indução, inconsciência, estupidez, ou hábito, deitam o seu voto na força partidária que não corresponde aos seus interesses reais e que são até por vezes antagónicos.
3 – Os que contrariamente, em defesa das suas convicções, vão militantemente depositar o seu papelinho, assinalando que querem ver a governar gente, que muitas vezes poderão estar contra os seus próprios interesses económicos, mas que correspondem a um projecto de sociedade mais justa e equitativa, que respeita o ser humano e a natureza em toda a sua dimensão dialéctica.
Somos governados de uma forma geral, por regras que defendem principalmente, o poder económico em detrimento do poder político.
O dinheiro, sendo um código que determina as regras do jogo, imprime á sociedade a tendência de lhe dar o primado, em detrimento da produção.
Este conjunto de conceitos é o principal factor que determina os diferentes antagonismos, que desde sempre tem afectado a organização social da humanidade.
Filosofando sobre a moral da exploração a que o homem tem sido sujeito através dos tempos, tem-se criado sistemas políticos, que a força das massas tem tornado cada vez mais justos.
Culminou essa evolução em 1917, com a chamada Revolução de Outubro, que na sequência da Revolução Francesa, procurou emendar o percurso dos detentores do poder, que quase sempre tiveram por detrás, os detentores do dinheiro.
É essencialmente em nome do socialismo, como tese e nas suas mais variadas expressões, que o confronto das várias classes, continua a procurar a melhor solução.
A evolução histórica, cultural, política e porque não dizê-lo “moral”, criou dificuldades de tal natureza às classes exploradoras, que só iludindo as populações, têm conseguido manter os seus privilégios.
A pouco e pouco o socialismo vai aparecendo como a única alternativa ao futuro da humanidade, como expressão de uma sociedade mais justa e equitativa.
Este facto leva a que muito do “socialismo” que se apregoa, não passa de artifícios falaciosos para manter exactamente tudo na mesma, no que diz respeito aos privilégios dos poderosos e da sua capacidade de explorar as classes trabalhadoras.
Servem-se entre outros meios, da comunicação social e principalmente da televisão, pela atracção que esta exerce e por ser particularmente eficaz, ao entrar directamente nas nossas casas.
Mobilizam todo o tipo de lugar-tenentes que necessitam, subvertendo-os com as remunerações e prebendas que sejam necessárias, pois o dinheiro é coisa que não lhes falta.
Mas os tempos não estão fáceis para essa gente.
O progresso sempre vai criando militância suficientemente empenhada e meios de denúncia, para manter viva a esperança de que a transformação da sociedade é possível e mesmo inevitável.
Medite sobre a matéria.
Equacione correctamente os seus interesses.
Faça uma descriptação objectiva dos argumentos que lhe são apresentados.
Avalie a sua opção segundo um critério justo e no fim verá que o somatório do seu esforço, com os que de forma semelhante interpretam as suas obrigações de cidadania resultará, senão para já, pelo menos a breve trecho, na antevisão de um futuro radioso para Portugal e por arrasto para muitos outros países.
Veja com muita atenção e medite sobre os conteúdos do “power point” que publicamos, onde abordamos alguns problemas da situação político/económica actual e das alternativas que em consciência se impõe a todos nós, para que não se perca a esperança de um futuro mais justo e mais feliz para a humanidade.
E não se esqueça de o fazer reflectir na cruzinha que vai pôr no papel que introduzirá na urna, no próximo dia 27 de Setembro.
Essa cruz será a expressão de uma ínfima, mas importantíssima parte da opinião pública, que no seu conjunto, tem o poder de mudar a história do país que em 25 de Abril de 1974, deu uma grande e inesquecível lição ao mundo.
Vote bem!!!

NESTE LINK
EXPLICAÇÃO CIENTÍFICA

DE CARALHO

ONDE SE PROVA QUE O PRTUGUÊS
É UMA LINGUA MUITO TRAIÇOEIRA

Etimológicamente é uma palavra jamais encontrada em latim, segundo observa Corominas.
Leo Spitzer no entanto considera que tem origem no latim “characulus”, diminuitivo de “charax, acis”.
Em calão ou na gíria “Caralho” é uma expressão designativa de admiração, surpresa, espanto, indignação, etc.
Ora a nossa tradição marinheira, tem uma explicação muito mais castiça, para explicar a origem vernácula dessa expressão.
Está a pensar que somos uns ordinários e que estamos a disfarçar socorrendo-nos do “latinório”
Então antes de nos encomendar para os quintos dos infernos, dê uma saltada até ao dicionário da Lingua Portuguesa “Houaiss” e veja o que ele diz sobre essa palavra .

Agora veja o "power point" que apresentamos em baixo, onde a Academia Portuguesa de Letras lhe explica tim-tim por tim-tim, a origem da palavra “caralho”
Eu disse tim-tim por tim-tim.Não falei em timtins.
Você é um mal intencionado, mas está desculpado!!!

Para castigo, tem de clicar com o rato para mudar o slide e ir ficando mais ilustrado.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009


MOTIVOS PARA REFLEXÃO

Hoje o nosso “power point” é dedicado á justa luta dos trabalhadores e em especial dosprofessores.
Aproxima-se o dia de ir votar.
O problema dos professores e o dos outros funcionários públicos, bem como de todas as classes sociais atingidas por medidas irracionais deste governo, que aproveitando uma episódica maioria, despoticamente arrastou este país para uma grave situação de angústia generalizada, que nem a desculpa da crise mundial consegue iludir.
É necessária uma mudança de política e este facto tem uma relevância, que não pode ser iludida no acto de ir votar.
O voto nesta situação é uma opção essencial.


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

SÓCRATES CONTRA SÓCRATES


quarta-feira, 16 de setembro de 2009


IKEBANA, A ARTE JAPONESA

DO ARRANJO FLORAL.

Caracteriza-se por sujeitar os arranjos florais, como elementos de adorno, a regras esteticamente muito bem definidas, segundo códigos elaborados em critérios relacionados com conceitos ligados á vida e á própria natureza.
Socorrendo-se de vários recursos e manipulações, conseguem aumentar o período de vida das plantas, flores e ramos utilizados nesses conjuntos florais.
Um dos conselhos que são dados, para aumentar a duração do arranjo floral, que achamos muito curioso, é o recurso á técnica de esfregar uma pitada de sal, nas extremidades cortadas, ou a utilização de um pouco de ácido sulfúrico, ou clorídrico diluidos em água.
Para quem goste de usar as flores naturais em jarras a decorar a casa, mesmo sem intenção de praticar as regras estéticas do ikebana, estes truques serão certamente de grande utilidade.


terça-feira, 15 de setembro de 2009

O MUNDO EM 2070

UMA REFLEXÃO SOBRE A FALTA DE ÁGUA
E DO SEU USO RACIONAL.

O uso racional da água e a sua qualidade, são uma das direcções que o desenvolvimento mundial terá de ter em atenção, na medida em que é muito complicado transportá-la ou desviá-la para os locais onde é precisa.
É um facto comprovado que a procura de água triplicou nos últimos 50 anos.
Outro fenómeno relevante, diz respeito aos níveis freáticos dos países mais populosos, que têm vindo a diminuir aceleradamente.

Por outro lado, alguns dos maiores rios da terra, perderam muito seu volume e em alguns casos secaram completamente.
A maioria dos lagos estão diminuindo numa dimensão verdadeiramente assustadora.
Um dos exemplos mais significativos é o Mar de Aral, que hoje em dia tem menos de um quarto do seu tamanho original.
A poluição atmosférica (provocada pelos óxidos de azoto e óxidos de enxofre) com a consequente formação de chuvas ácidas e a poluição dos solos com a respectiva contaminação dos lençóis freáticos, são num futuro próximo, um dos problema mais grave e um imenso desafio ambiental para todo o mundo, bem superior aos problemas que nos coloca o aquecimento global.
É no quadro geral destes fenómenos, que temos de entender a mensagem deste “power point”.


MENSAGEM DESTE "POWER POINT"
FANTÁSTICAS

TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO

Aproveitando os ícones e outros códigos e simbologias ligadas á informática esta animação é de facto uma explosão de permanente de criatividade.

ATENÇÃO:

Antes de clicar no PLAY, para iniciar a acção, regule a imagem na dimensão que lhe interessar, movendo o botão que se encontra no canto direito, do fim da página.

AGORA DIVIRTA-SE COM ESTA ANIMAÇÃO INFORMÁTICA

OU AINDA COM ESTA

Neste ultimo caso clique no icone (televisor) que se encontra por baixo e do lado direito da palavra PLAY, para aumentar a imagem.

CONTRA A
.
.
CENSURA
.
.
PELA
.
.
LIBERDADE
.
.
DE
.
.
EXPRESSÃO
.
O autor Gonçalo Amaral considera que o caso passou a ser “tratado como um problema político, pelo menos no Reino Unido”, quando 20 dias depois do desaparecimento “os pais terão contactado Gordon Brown, futuro primeiro-ministro inglês”.
São afirmações desta natureza que leva a uma pergunta que corre com insistência na Net e que resumidamente se traduz na seguinte questão:
Terão sido os juízes portugueses subservientes a Inglaterra?
“Havia um entendimento entre ambas as polícias [portuguesa e britânica] para avançar num rumo de investigação que encarava seriamente a possibilidade de a morte da criança ter ocorrido no apartamento mas, subitamente, a polícia inglesa flectiu sem explicação técnica coerente”.
PARA MAIOR CONFORTO REDUZIR A IMAGEM A 100%