Mensagem

Mensagem

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

BEAUTIFUL PICTURES

É ESTE O TÍTULO ORIGINAL DA APRESENTAÇÃO

Eu diria, acrescentando, fotografias de uma beleza esmagadora.
Não encontro outras palavras mais adequadas para exprimir o que senti, quando me foi dado admirar este ”Power point”.
De facto e certamente concordarão comigo, é emocionante admirar algumas destas fotos.
Há uma ou duas que já tínhamos publicado, mas vale a pena neste contexto, revê-las, quanto mais não seja para reviver tão belas emoções.

NESTE LINK


ESCÂNDALO
UMA VERGONHA ABSOLUTAMENTE INACREDITÁVEL!
INÊS DE MEDEIROS, FILHA DO VITORINO DE ALMEIDA E DEPUTADA PELO CIRCULO DE LISBOA DO P.S.
COMO A SUA RESIDÊNCIA É EM PARIS, RECEBE DIARIAMENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 528€ DE AJUDAS DE CUSTO DIÁRIOS, MAIS A VIAGEM PAGA A PARIS IDA E VOLTA, AOS FINS DE SEMANA
COMO É POSSÍVEL ACEITAR ISTO!

ESCÂNDALO

SILVA LOPES, NOMEADO ADMINISTRADOR DA EDP RENOVÁVEIS.

SILVA LOPES, com 77 (setenta e sete) anos de idade, ex-Administrador do Montepio Geral, onde saiu há pouco tempo com uma indemnização de mais de 400.000 euros, acrescidos de varias reformas que tem, uma das quais do Banco de Portugal como ex-governador, logo que saiu do Montepio foi nomeado Administrador da EDP RENOVÁVEIS, empresa do Grupo EDP.
Com mais este tacho dourado, lá vai sacar mais umas centenas de milhar de euros num emprego dado pela escumalha política do governo, que continua a distribuir milhões pela cambada afecta aos partidos do centrão.
Silva Lopes foi o tal que afirmou ser necessário o congelamento de salários e o não aumento do salário mínimo nacional, por causa da competitividade da economia portuguesa. Claro que para este senhor, o congelamento dos salários deve ser uma atitude a tomar, (desde que não congelem o dele, claro).

ESCÂNDALO

FERNANDO GOMES, COMISSÁRIO POLÍTICO DO PS

Como administrador da GALP, recebeu em 2008, mais de 4 milhões de euros de remunerações.
Acresce a isto um PPR de 90.000 euros anuais, para quando o ” comissário PS ” for para a reforma.

Publicado em
TRABALHADORES

ESCÂNDALO

Com base em duas reportagens televisivas, Correia da Fonseca denuncia que “em muitas empresas portuguesas é aplicada a tortura a trabalhadores que se tornaram indesejados pelas respectivas gestões”.
De qualquer modo, esta denúncia pela TV, relativamente discreta, sugere que está a ser adoptado com certa frequência.
Em muitas empresas portuguesas é aplicada a tortura a trabalhadores que se tornaram indesejados pelas respectivas gestões.
Desde retirar ao trabalhador (ou trabalhadora, é claro), qualquer tarefa, obrigando-o a manter-se no seu lugar durante todo o tempo do horário sem nada para fazer, ou distribuir-lhe tarefas menoríssimas e inúteis que resultam em humilhação profissional óbvia, até colocar a secretária da vítima virada para uma parede e de costas voltadas para todo o resto durante o dia laboral inteiro, ou ainda, em hipótese mais agressiva, colocar o empregado numa sala vazia de tudo incluindo assentos, há uma gama de «tratos especiais» que algumas. empresas aplicam. Com um objectivo: o de pressionar o empregado para que ele peça a demissão, já que em certos casos despedir um trabalhador sem justa causa ainda é oneroso e complicado.

ESCÂNDALO

AINDA FALTAVA ESTA! POSTO DA GNR ARMAÇÃO DE PÊRA VIGIADO PELA "PROSSEGUR "...!!!!!

O Ministério de Administração Interna deste Governo mandou instalar sistemas de segurança de empresas privadas para proteger instalações de forças policiais !!!

1 comentário:

Nuno disse...

Passa-lhe pela cabeça que o valor que refere de ajudas de custo possa ser verdadeiro? Se assim fosse todos os deputados arranjariam residência no Japão que assim ganhariam mais ainda, era ordenado de futebolista.Não se pode acreditar em tudo o que se lê na Net.



Estas são as ajudas de custo a que têm direito os deputados. Ate as viagens a deputada Inês de Medeiros não tem direito, e isso sim esta para ser alterado de modo a ela poder ter as viagens pagas pela assembleia, mas também não é nada que os deputados da madeira e açores não tenham já direito, uma viagem para paris não fica mais caro que para as ilhas.

Se me pergunta se concordo? Acho simplesmente vergonhoso… mas para todos não só para a Inês de Medeiros



A. DURANTE O FUNCIONAMENTO DO PLENÁRIO E/OU COMISSÕES


Deputados que residam fora dos concelhos de Lisboa, Oeiras, Cascais, Loures, Sintra, Vila Franca de Xira, Almada, Seixal, Barreiro, Amadora e Odivelas
– 69,19 €/dia, a título de ajuda de custo em cada dia de presença em trabalhos parlamentares.

Deputados que residam nos concelhos de Lisboa, Oeiras, Cascais, Loures, Sintra, Vila Franca de Xira, Almada, Seixal, Barreiro, Amadora e Odivelas
– 23,05 €/dia, a título de ajuda de custo em cada dia de presença em trabalhos parlamentares.

Deputados residentes em círculo diferente daquele por que foram eleitos para deslocação ao círculo eleitoral
- 69,19 €/dia, até dois dias por semana, nas deslocações que, para o exercício das suas funções, efectuem ao círculo por onde foram eleitos, durante o funcionamento efectivo da Assembleia da República.

Deputados residentes no seu círculo eleitoral e dentro dos concelhos de Cascais, Barreiro, Vila Franca de Xira, Sintra, Loures, Oeiras, Seixal, Amadora, Almada e Lisboa
- 0,40 €/km, em cada dia de presença em trabalhos parlamentares.

Deputados residentes no seu círculo eleitoral mas fora dos concelhos de Cascais, Barreiro, Vila Franca de Xira, Sintra, Loures, Oeiras, Seixal, Amadora, Almada e Lisboa
- 0,40 €/km - uma viagem semanal de ida e volta entre a residência e a Assembleia da República, condicionada à presença em trabalho parlamentar na respectiva semana.

Deputados residentes fora do seu círculo eleitoral mas dentro dos concelhos de Cascais, Barreiro, Vila Franca de Xira, Sintra, Loures, Oeiras, Seixal, Amadora, Almada e Lisboa
- 0,40 €/km, em cada dia de presença em trabalhos parlamentares.

Deputados residentes fora do seu círculo eleitoral e fora dos concelhos de Cascais, Barreiro, Vila Franca de Xira, Sintra, Loures, Oeiras, Seixal, Amadora, Almada e Lisboa
- 0,40 €/km - uma viagem semanal de ida e volta entre a residência e a Assembleia da República, condicionada à presença em trabalho parlamentar na respectiva semana, acrescido de duas viagens mensais de ida e volta entre a capital do distrito do círculo eleitoral de origem e a residência.

Deputados residentes nas Regiões Autónomas
- o montante de uma viagem de avião de ida e volta na classe mais elevada por semana, entre o aeroporto da residência e Lisboa, acrescido da importância da deslocação entre aquele aeroporto e a residência.

Deputados eleitos pelos círculos da emigração da Europa residentes no respectivo círculo eleitoral
– uma viagem de avião de ida e volta na classe mais elevada por semana, entre o aeroporto da cidade de residência e Lisboa, acrescida da importância da deslocação entre aquele aeroporto e a residência.

Deputados eleitos pelos círculos da emigração de fora da Europa residentes no respectivo círculo eleitoral
- duas viagens mensais de ida e volta, em avião, na classe mais elevada entre o aeroporto da cidade de residência e Lisboa, acrescidas da importância da deslocação entre aquele aeroporto e a residência.


Esta tudo na pagina do parlamento

http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/EstatutoRemuneratorioDeputados.aspx#tres